Publicado por: Battista Soarez | julho 30, 2010

REFLEXÃO E FÉ

EU EM JESUS E JESUS EM MIM

“Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.

E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um.

Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim”.

(João 17.19-21).

Jesus fez a oração acima em situação de despedida. Ele estava se ausentando fisicamente de entre os seus discípulos, e estava preocupado – como qualquer humano – com a situação de eles ainda ficarem no mundo sem a companhia física dEle. E, então, Ele disse: Pai, quero que todos sejam um. É uma oração que mexe comigo, mexe com você, mexe com a igreja e mexe com todo mundo. Só não mexe com os insensíveis de coração e de alma.

A unidade e a simplicidade são o segredo do caminhar com Jesus na dimensão da liberdade espiritual.

Ele orava ao Pai [DEUS] pedindo que, com o advento da sua partida para o céu, não ficasse ninguém disperso. Que todos fossem um… Um em propósito. Um em unidade. Um em conhecimento da fé. Um em força. Um em espírito de oração, louvor e adoração no SENHOR de todos nós. Enfim, Jesus queria que todos formassem um corpo. Trata-se de uma graça coletiva unificada. Ele, então, roga ao Pai para que isto aconteça. E o Espírito de Deus seria a pessoa encarregada de operacionalizar esta graça maravilhosa no ambiente humano.

Veja a preocupação de Jesus. Aliás, por que Ele – em sendo Deus – estava tão preocupado com a UNIDADE do seu povo? É impressionante! Ele estava preocupado, literalmente. Vejo Jesus quase que desesperado com a questão da unidade daqueles que foram chamados pelo seu nome. Até parece que o Mestre está falando em nossos dias, quando temos um presidente da república chamado Luiz Inácio Lula da Silva dirigindo, com seu carisma bravio, uma federação de corruptos. Um outro norte americano, chamado Barack Obama, mediando uma política de repercussão internacional apaziguadora de conflitos, desde a América Latina até o Oriente Médio.

Ele, Jesus, o Cristo, falou como se estivesse nos dias atuais, em que temos uma sociedade desunida, carregada de ódio e de sentimento possessivo, coisas que destroem estruturas e estouram o poder da unidade humana. Dias atuais, em que há enormes avalanches de famílias quebradas e lares destruídos. Pessoas presunçosas e indiferentes na sociedade, no trabalho, nas empresas, nas instituições de classe, nas organizações, e até nas igrejas (e principalmente nelas). Jesus falou como se estivesse num Brasil dominado por senso separatista e pensamentos assassinos. “Pai – disse Ele. – Que todos sejam um”. Que todos se amem e se respeitem mutuamente. Imagino que Jesus respirou fundo, ao falar desta maneira.

…Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti. Que quis o Senhor dizer com isto? “Que todos sejam um como tu és em mim e eu em ti”. Na minha humilde maneira de ver as coisas com simplicidade, acho que Jesus estava rogando uma unidade perfeita, santa e revestida de glória espiritual. Ele estava falando da rica simplicidade no coração humano, porque a espiritualidade é simples, mas é cheia de poder. E a simplicidade é um terreno fértil para a espiritualidade. Na verdade, o que separa as pessoas é a falta de simplicidade e humildade.

…E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um. Aqui Jesus está falando de uma relação íntima entre o cristão, Cristo e Deus. Relação de intimidade. E de amizade. Amizade mesmo, no mais alto grau do sentido da palavra. Não há intimidade com Deus se, antes, não houver relacionamento e espírito de unidade no corpo de Cristo. A igreja é o símbolo vivo deste corpo. Portanto, se não há unidade e comunhão na igreja, também não há vida espiritual autêntica em Deus.

…Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim. Deus em Cristo, Cristo em nós. Esta glória de unidade é que move a fé rumo à perfeição. Consciência na unidade do corpo e na força do Altíssimo que move o corpo! Transparência na relação com o próximo! O amor, o chamado e a graça são sinais da presença absoluta de Deus em nós. E poucos têm esta consciência. Muitos querem ser crentes, desfrutar das bênçãos do Altíssimo, mas não querem abdicar de uma vida mesquinha e sem propósito. Vivem orando, vivem em shows evangélicos, vivem falando em línguas, vivem lendo a Bíblia e, ainda, freqüentando grupos de oração. Mas, no entanto, vivem na mesma vidinha de mesquinhez espiritual. Xingam, brigam, praguejam, murmuram e ferem as pessoas que cruzam o seu caminho. São péssimos maridos, são péssimas esposas, péssimos patrões, péssimos líderes. Mas, no domingo, estão lá na igreja de Bíblia na mão, cantando, orando e dando a paz do Senhor. Que todos sejam perfeitos em unidade, disse Jesus.

Trabalho numa instituição em que as pessoas [crentes] da diretoria vivem orando, cantando e lendo a Bíblia. Mas vivem indiferentes, presunçosas, amarguradas e de cara feia com os outros. São doentias emocional, psicológica e espiritualmente. Depois, têm a cara-de-pau de dizerem que a culpa é do outro. Vivem à busca de culpados. São incapazes de assumirem seus defeitos e suas personalidades doentias. Será que crentes assim estão em Cristo? Será que Cristo está neles? Que gente é essa que não há poder de Deus que mude o seu caráter? A sua maneira doida de ser?

Eu não creio nesse tipo de conversão sem juízo, que mata a fé dos outros, que assassina qualquer tipo de relacionamento entre si e o outro. Eu não acredito. Problemas todos nós temos. Chateação pode ocorrer vez em quando. Afinal, somos humanos. Mas que coração é esse que vive amargurado, que maltrata o próximo, que machuca e odeia. Que coração é esse que é incapaz de amar o próximo como a si mesmo?

Eu prefiro crer no que disse Jesus: Pai, Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim.

Amigo, que vida é essa que não há amor de Deus que dê jeito em você e em seus problemas… de caráter e personalidade? Será que você vive a fé evangélica ou a macumba evangélica. Quando eu era criança, morando no interior, tínhamos um vizinho macumbeiro. Ele recebia espíritos, dizia-se ser religioso temente, mas, no entanto, vivia amargurado, triste e indiferente com a vizinhança toda. Depois, com o tempo, percebi que todo macumbeiro é amargurado, devido ao espírito religioso que se apossa dele.

E você, querido evangélico, é nascido de novo em Cristo e vive nEle e Ele em você, ou apenas você é possuído por um espírito religioso evangélico que o faz ir à igreja, cantar, orar, profetizar e ler a Bíblia? Mas que, no fundo, não tem vida em Deus? Onde estão seus irmãos? Como está seu relacionamento com eles? Como está sua vida com Jesus Cristo?

Eu em Jesus e Jesus em mim, você em Cristo e Cristo em você é a grande diferença na dimensão espiritual.

Anúncios

Responses

  1. perfeito!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: