Publicado por: Battista Soarez | maio 5, 2010

ROTA DE AZAR: AVIÃO DA TAM SE CHOCA COM AVE EM SÃO LUÍS

Depois de manobra para pouso, avião da TAM se choca com ave

SÃO LUÍS/MA – Às vezes dá para desconfiar de que, realmente, há forças estranhas nas rotas da companhia aérea TAM. Ontem, terça-feira, 4, pela madrugada, um avião da empresa chocou-se com uma ave e por pouco não acabou em tragédia. O vôo era o 3573. O Airbus A 320 vinha de Fortaleza com 137 passageiros a bordo e se preparava para pousar no Aeroporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado, em São Luís.

Os relógios marcavam 4h18m da manhã. De repente, um susto: uma coruja, segundo um funcionário da TAM, atravessou na linha de pouso da aeronave e a colisão aconteceu. O choque foi contra a asa esquerda do avião e ocorreu no momento em que o piloto realizava os procedimentos para o pouso.

A versão do funcionário da companhia, de que o pássaro seria uma coruja, foi contradita pela Infraero que, por sua vez, informou se tratar de um urubu que se meteu na frente da aeronave. Urubu ou coruja, o fato é que esta já é a segunda vez, este ano, que ave se choca com avião na capital maranhense. Não importa se é uma ou outra. As duas aves são feias de jeito e, à frente de um avião no ar, representam o mesmo grau de perigo. Além disso, parece-me que a opinião leiga do funcionário da TAM tem mais sentido que a do conhecimento técnico da Infraero. Pois a essa hora da madrugada, 4:00h, urubu ainda está agasalhado. É mais propício às corujas voarem a essa hora, quando ainda é noite. Afinal de contas, urubu é ave do dia, e coruja é ave da noite.

A aeronave ficou retida por quatro horas em São Luís

Funcionários do aeroporto de São Luís enviaram fotos do acidente para a sede da TAM em São Paulo e ficaram aguardando resposta para que dessem continuidade ao vôo que, depois de uma breve escala em Imperatriz, seguiria para Brasília. O superintendente da Infraero em São Luís, Hildebrando Correia, informou que o Ministério Público e o Ibama estão fazendo trabalho de vistoria nas proximidades do aeroporto Cunha Machado para evitar outros acidentes parecidos. “Fazemos inspeções nas áreas de pouso e decolagem antes da manobra das aeronaves. Quando detectado algum animal, repassamos as coordenadas aos pilotos”, informou ele.

O avião ficou retido em São Luís por quatro horas, decolando somente às 8h27m. Muitos passageiros desistiram da viagem, alegando terem perdido outro vôo em Brasília.

Importante – Hildebrando informou, ainda, que a Área de Segurança do Aeroporto Cunha Machado, em São Luís, tem um raio de 20 quilômetros, no qual são desenvolvidas atividades de curtume (trabalhos de curtimento de couro), matadouros e vazadouros de lixos. Essas coisas atraem a presença de urubus à área do aeroporto, expondo as aeronaves a perigos como esse que ocorreu.

Anúncios

Responses

  1. Os problemas não estão com as aves, e sim com o poder público. Um aeroporto construído perto de matadouros sem ficalizações o que não é nenhuma novidade no Maranhão, espera-se o quê? Agora chamar a ave de maldita é pegar pesado. Malditos mesmo são….

  2. Realmente, a irresponsabilidade das autoridades — que só pensam em proveitos econômicos — é a maior ameaça para a sociedade, quer seja no ar, quer seja na terra. Mas isso ocorre porque a sociedade é pacata, aceita qualquer tipo de sofrimento numa boa, democraticamente.

  3. […] ROTA DE AZAR: AVIÃO DA TAM SE CHOCA COM AVE EM SÃO LUÍS maio, 2010 2 comentários 4 […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: